Knight Center
Knight Center

Blog JORNALISMO NAS AMERICAS

Ameaças contra a imprensa aumentam em Honduras; Governo continua buscas por jornalista sequestrado




Além do sequestro do jornalista Alfredo Villatoro em Honduras, outros cinco jornalistas denunciaram sofrer ameaças de morte em San Pedro Sula só este ano, segundo informou a Promotoria Especial de Direitos Humanos ao periódico La Prensa.

Villatoro, apresentador de um jornal matutino e diretor de notícias da emissora de rádio mais importante de Honduras, já havia recebido ameaças de morte em várias ocasiões e sua emissora, a HRN, foi atacada com uma granada no final de 2009, segundo o Comitê para a Livre Expressão em Honduras.

Horas depois do sequestro, as autoridades da capital Tegucigalpa prenderam um ex-policial suspeito do estar envolvido no crime, informou a agência Associated Press nesta quarta-feira, 9 de maio, que em seguida foi liberado por falta de provas.

Cinco horas após o rapto, os sequestradores se comunicaram com os familiares do jornalista, mas não revelaram suas exigências, informou o diário Tribuna.

A embaixadora americana em Honduras, Lisa Kubiske, condenou o sequestro em seu Twitter: “Condenamos os que querem controlar o povo usando violência contra jornalistas”, segundo publicou o jornal El Heraldo. A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) instou o governo de Honduras a atuar com rapidez para resgatar o jornalista hondurenho. A cadeia HRN emitiu um comunicado para solicitar informação ao público sobre o paradeiro de Villatoro.

O presidente Porfirio Lobo enviou um comunicado informando que, devido à gravidade do caso, equipes de investigação estrangeiras colaboram com autoridades hondurenhas na busca pelo jornalista, de acordo com a agência EFE.

Alfredo Villatoro, de 47 anos, era um conhecido jornalista de temas gerais com passagem nos jornais El Heraldo, La Tribuna e Radio América. Desde 2006, se tornou coordenador geral de notícias da emissora mais importante de Honduras, HRN, de acordo com um perfil publicada pelo El Heraldo.

Depois do México, Honduras é considerado o país mais perigoso para a imprensa nas Américas. De acordo com a ONU, Honduras é também o país mais violento do mundo, com uma taxa de 86 homicídios por cada 100.000 habitantes. Para mais informação, consulte este mapa do Centro Knight para o Jornalismo nas Américas sobre os ataques contra a imprensa na América Central.



No comments

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
By submitting this form, you accept the Mollom privacy policy.


Assine o boletim semanal

Receba nosso boletim semanal sobre jornalismo nas Américas.

Escolha seu idioma:

English
Español
Português

Por favor, digite seu e-mail:

Facebook

Comentários recentes